A SOCINE (Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual) repudia com veemência a conduta e o discurso do então secretário especial da Cultura do atual governo federal, que citou o então ministro da propaganda do governo nazista em pronunciamento publicado em 16/01/2020.

Esse tipo de discurso, criminoso e inaceitável, tenta associar ao âmbito da arte – reino por excelência da pluralidade e da liberdade – um pensamento e uma prática pautados pela intolerância e pelo autoritarismo.

Atos dessa natureza devem ser execrados e devidamente punidos a fim de que não se tornem prática corrente devido à sua banalização em tempos de retrocesso e obscurantismo.

A exoneração do secretário não é suficiente se o programa de fomento à cultura lançado por ele, construído com bases de inspiração declaradamente nazi-fascista, não for também revisto e reelaborado de acordo com os princípios democráticos e humanitários que devem reger qualquer política pública cultural.

A diretoria

Nota de repúdio

Category: Notícias
126 views