Trabalhos Aprovados 2019

Ficha do Proponente

Proponente

    Natacha Muriel Lopez Gallucci (UFCA)

Minicurrículo

    Doutora em Multimeios e Doutora em Filosofia pela Unicamp, . Mestre e Licenciada em Filosofia. Professora Adjunta de Filosofia do Instituto Interdisciplinar de Sociedade Cultura e Artes da Universidade Federal do Cariri (UFCA). Coordenadora do Grupo FiloMove Filosofia, Artes e Estéticas do Movimento (UFCA). Pesquisadora do Grupo Observatório Cariri de Culturas (UFCA CNPQ); Grupo Ciranda (UFPE CNPQ); Grupo Cartografias da Subjetividade (UFCA CNPQ). Portfolio www.natachamuriel.com

Ficha do Trabalho

Título

    Estratégias de convocação dos personagens no documentário argentino

Seminário

    Audiovisual e América Latina: estudos estético-historiográficos comparados

Resumo

    O documentário argentino contemporâneo articulado a recursos criativos da cultura popular tem expandido as estratégias de convocação de personagens. Nesse processo de alargamento das políticas do visível e do audível, artistas populares entram em cena testemunhas da crise latino-americana propondo novos questionamentos não hegemônicos de leitura da realidade. Analisaremos El último aplauso de G. Kral, Tango um giro extraño de Garcia Guevara e Que será que me han hecho tus ojos de Muños e Wolf

Resumo expandido

    No contexto da segunda metade do século XX, o amplo desenvolvimento do vídeo e depois do digital expande o cinema documentário argentino para a esfera pública e encoraja a participação de grupos de base, de artistas populares e de novos diretores na realização audiovisual. O objetivo deste trabalho visa indagar diversas formas de convocação (casting) de atores reais em documentários argentinos contemporâneos. No processo de alargamento das políticas do visível e do audível, artistas populares entram em cena como testemunhas de uma profunda crise sócio-cultural; que, longe de apresentar um drama local ou isolado integram, nas suas gestualidades, aspectos da crítica à realidade Latino-americana. Segundo conjetura Michael Chanan, a ampliação das geografias virtuais nas telas do Cone Sul, com vozes, gírias e estéticas do popular projeta, desde o documentário, uma persistência do ideal de latinoamericanismo (CHANAN, 2017, p.131). Isso coincide com uma incessante busca de novas estratégias que possibilitem a quebra diante do sufocante domínio do norte e sua indústria cinematográfica.
    Analisaremos três documentários argentinos contemporâneos que abrem o século XXI, Yo no sé que me han hecho tus ojos (2003) de Lorena Muñoz e Sergio Wolf, Tango um giro extraño (2005) de Mercedes García Guevara e El último aplauso (2009) de Germán Kral. Nestes documentários artistas populares vinculados ao tango canção, à dança e à composição musical produzem espaços de reflexão social a partir de suas performances artísticas. A relação diretor/atores reais permite a confrontação do tempo histórico coletivo com a criação subjetiva. Esta filmografia, associando aspectos da experimentação do tango, integra artistas populares não apenas para performar sua arte, mas para refletir sobre sua própria performance presente ou passada, sondando possíveis leituras não hegemônicas da representação coletiva (LOPEZ GALLUCCI, 2014). A convocação de artistas da cultura popular do tango como personagens reais no documentário forma parte de uma tradição recorrente na cinematografia argentina, desde o período silencioso até atualidade. Todavia, segundo Jens Andermann, no panorama contemporâneo acessamos uma diversificação nas estratégias de convocação e colaboração em prol de processos de subjetivação. E isso repercute em um deslocamento das análises estilísticas imanentes (eixo da crítica no cinema de autor) para uma observação do significado social e das implicações ideológicas das convenções narrativas (ANDERMANN, 2012). Nos documentários analisados, jovens artistas do tango dança são convocados para realizar performances; entre tanto, eles produzem longos depoimentos sobre o corpo, o amor, a criação, o gênero e a dívida respeito da bagagem cultural dos chamados “mestres”. De outro lado, figuras da canção associadas ao sistema de estrelas que migrou do Rádio para o cinema nos anos de 1930 e 1940, apresentam a acontecimentos e memórias sobre a perda da profissão, a crise econômica, política e cultural do país. O processo de produção destes documentários, marcados pela experimentação acústica e visual em redor dos artistas representantes do fazer coletivo manifesta conexões históricas com o cinema social (PARANAGUA, 2003). Na mise-en-scène, o diretor e os performers se apropriam do espaço fílmico para sublinhar o pertencimento à linguagem popular entre a tradição e a vanguarda.

Bibliografia

    ANDERSMAN, Jens. New argentine cinema. London/New York: I.B. Tauris, 2012. ISBN 978 1 84885462 8
    CHANAN, Michel. Latin American documentary: a political trajectory. In: DELGADO, M. HEART, S. JOHNSON, R. A companion to Latin American cinema. West Sussex, UK: Backwell, pp. 117-132. ISBN 978 1 11855739 6
    LOPEZ GALLUCCI, Natacha M. Performance, ritual e cinema. In: Cinema, corpo, filosofia: Contribuições para o estudo das performances no cinema argentino (Tese de Doutorado em Multimedios), Decine, Multimeios, Instituto de Artes, Campinas: UNICAMP, 2014. pp. 261-222.
    LOPEZ GALLUCCI, Natacha M. Corpos e vozes femininas: educação e resistência no cinema argentino. Educação em Revista. 2018, vol.34, n.70, pp.85-100. ISSN 0104-4060.
    NICHOLS, Bill. La representación de la realidade. Barcelona: Paidós, 1997.
    PARANAGUÁ, Paulo A. Cine documental em América latina. Cátedra: Madrid, 2003
    PIEDRAS, Pablo. El cine documental en primera persona. Buenos Aires: Paidós, 2014.