Trabalhos Aprovados 2022

Ficha do Proponente

Proponente

    José Augusto Lobato (USJT)

Minicurrículo

    Pós-doutor (PPGCOM-UAM) e doutor em Ciências da Comunicação (PPGCOM-USP). Mestre em Comunicação (Cásper Líbero) e graduado em Jornalismo (Unama). Docente dos cursos de comunicação da Universidade São Judas e coordenador regional São Paulo da área de Comunicação e Artes na Ânima Educação. Consultor de conteúdo no Grupo Report. Pesquisa as relações entre identidade e alteridade na cultura audiovisual contemporânea, com foco na produção documental e na ficção seriada. E-mail: gutomlobato@gmail.com.

Ficha do Trabalho

Título

    Imagens do Outro: Imigrantes e Refugiados no Documentário e na Ficção

Formato

    Presencial

Resumo

    Neste texto, propomos uma análise crítica de produções audiovisuais brasileiras que abordam os fluxos migratórios na perspectiva de refugiados. Para isso, resgatamos as características das narrativas de alteridade, seus procedimentos de representação e de que forma são interpretadas. Baseamos a discussão teórica e a análise de recepção – ancorada em entrevistas com dez refugiados e imigrantes de seis nacionalidades – nas teorias da imagem, na filosofia da linguagem e nos estudos culturais.

Resumo expandido

    A sucessão de conflitos internacionais em países do Oriente Médio, América Latina e Eurásia consolida as primeiras décadas do século XXI como um dos mais graves períodos de crises migratórias da história contemporânea. De acordo a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), até meados de 2021, o número de refugiados ultrapassou 20,8 milhões. O dado se soma a 4,4 milhões de solicitantes ativos de refúgio e 50,9 milhões de pessoas deslocadas internamente em seus países. Este cenário tende a ser impactado em 2022 com o fluxo de mais de 5 milhões de refugiados que deixaram a Ucrânia, por conta da guerra provocada pela invasão da Rússia ao país.
    Recorrentes na cultura audiovisual e atrelados a essa pauta global, as narrativas de alteridade (LOBATO, 2017) de ficção e não ficção atreladas à enunciação do outro têm o papel de produzir imagens que tornem legíveis e compreensíveis seus aspectos socioculturais e expliquem os contextos de deslocamento em massa que os afetam, operando como sistemas representacionais (HALL, 2016). Em investigações anteriores, notamos que a produção de fronteiras, a demarcação do Eu/Nós e do Outro e a construção de atitudes ou posturas diante do diferente são marcas estruturais das narrativas de alteridade, seja por meio da tessitura do conflito/intriga, seja por meio da construção das personagens. Aqui, no entanto, partimos da premissa de que a compreensão da potência de tais imagens deriva de um embate entre identidade e alteridade que encontra especial relevância na instância da recepção, na leitura dos produtos audiovisuais por imigrantes e refugiados.
    Nosso trabalho aqui propõe a análise dos marcos estruturais de edições dos programas jornalísticos Profissão Repórter e GloboNews Especial e da telenovela “Órfãos da Terra” e sua problematização à luz de entrevistas com imigrantes e refugiados de seis países, a fim de examinar os processos de tradução cultural e produção de fronteiras.
    Para discutir esses tópicos, nosso referencial adota os estudos de imagem, sobretudo em Debray (1993), Kamper (2001) e Flusser (2007), para discutir a relação entre imagem e experiência e suas funções mediadoras da representação audiovisual, além de autores associados aos estudos da linguagem e da cultura – com os conceitos de representação social (Moscovici, 2003), fronteira (Lotman, 1998) e identidade, alteridade e discurso (Woodward, 2000; Hall, 2016; Bhabha, 1998). Também examinamos os processos de mediação e midiatização, a fim de compreender como a difusão em larga escala de atributos associados à alteridade mobilizam visadas e leituras preferenciais sobre suas características.
    Na análise das estruturas dos produtos audiovisuais, notamos, tanto no documentário jornalístico como na ficção seriada, a adoção de estratégias semelhantes de representação – com ênfase na produção de fronteiras e na atribuição de juízos valorativos aos imigrantes e refugiados. À análise desse material se somou o processo de realização de dez entrevistas com imigrantes e refugiados oriundos da Síria, de Burkina Faso, do Haiti, do Chile, da Guiné-Bissau e da Venezuela. Além de assistir a trechos das obras com eles, realizamos perguntas semiabertas sobre seu trajeto até o Brasil, sua percepção sobre a representação dos fluxos migratórios no documentário e na ficção e sua visão sobre como a cultura de seu país é traduzida nas obras. Regra geral, notamos na recepção a delimitação da fronteira como espaço dedicado à tradução e compreensão dos discursos e da diferença – processo visto de forma crítica pelos entrevistados em duas direções: (a) tendência a exibir representações de viés negativo sobre os modos de vida e características comportamentais e religiosas dos países e comunidades; e (b) reducionismo extremo e negação da diversidade e multiplicidade de “outros” postos sob representação quando falamos de um país ou mesmo uma região (como a África ou o Oriente Médio).

Bibliografia

    BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.
    CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2007.
    DEBRAY, Régis. Vida e morte da imagem. Petrópolis: Vozes, 1993.
    FLUSSER, Vilém. O mundo codificado. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.
    HALL, Stuart. Cultura e representação. Rio de Janeiro: Apicuri / PUC Rio, 2016.
    KAMPER, Dietmar. Imagem. In: WULF, Chistoph; BORSARI, A. (Orgs.). Cosmo, corpo, cultura. Milano: Mondadori, 2001.
    LOBATO, José Augusto Mendes. A alteridade na ficção seriada e na grande reportagem. Tese (Doutorado) – PPGCOM-USP, São Paulo, 2017.
    LOTMAN, Iuri. La semiosfera. Vol. 1. Madrid: Cátedra, 1998.
    MOSCOVICI, Serge. Representações sociais. Petrópolis, Vozes, 2003.
    SILVERSTONE, Roger. Complicity and collusion in the mediation of everyday life. New Literary History, 2002, v.33., p.761-780.
    WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz. Identidade e diferença. Petrópolis: Vozes, 2000.