Seguem as informações sobre as lives desta semana do SOCINE EM CASA. As transmissões ao vivo acontecerão no Canal da SOCINE no YouTube. Clique aqui para acessar o Canal e clique em INSCREVER-SE e em seguida pressione a imagem do sino para receber as notificações de quando iniciarmos a transmissão ou subirmos um novo vídeo. Além deste email, divulgaremos as lives durante a semana em nossas redes sociais (Facebook e Instagram). Qualquer dúvida entre em contato com a Secretaria pelo email socine@socine.org.br
Em breve divulgaremos a programação completa!

18/08 – TERÇA-FEIRA – 19 HORAS

Festivais de cinema como objeto de pesquisa – métodos e práticas

Debatedoras: Tetê Mattos (UFF), Izabel Melo (UNEB), Juliana Muylaert (UFF)
Mediação: Lila Foster

Apesar dos poucos estudos sobre os festivais audiovisuais no Brasil, este campo emergente de pesquisa vem se ampliando com trabalhos consistentes nos últimos anos em diversas partes do mundo. No campo acadêmico brasileiro, observamos nos últimos anos o crescimento das pesquisas em programas de pós-graduação que tomam os festivais de cinema como objeto de estudo. Nesse sentido, propomos a realização de uma live em formato de conversa com as doutoras Izabel Melo, que tratou da  Jornada de Cinema da Bahia na dissertação e tese, respectivamente na PPGH/UFBA  e no PPGMPA/USP;  Juliana Muylaert, que teve como objetos de tese no PPGH/UFF, o RECINE e o É Tudo Verdade e Tetê Mattos, que pesquisou o Festival do Rio, no PPGCom/UERJ. Mediação de Lila Foster. O objetivo desta live é, a partir do relato de experiências destes estudos pioneiros, promover uma reflexão sobre metodologias e práticas adotadas na investigação dos festivais de cinema, considerando a natureza efêmera desses objetos.
 
20/08 – QUINTA-FEIRA – 19 HORAS

Cinema de grupo e práticas de cuidado         

Grupo Xilofone com Ossos

Somos um coletivo que surgiu como um desdobramento do grupo Cinema e Práticas de Cuidado proposto pelo Lab. Kumã da UFF com o objetivo de desenvolver metodologias de criação audiovisual online. O projeto dá continuidade aos trabalhos já realizados no campo da educação com o projeto Inventar com a Diferença e com o trabalho de formação de grupos de educadores, tendo como guia o que temos chamado uma pedagogia do dispositivo. Há três meses nos encontramos a cada semana para experimentações com cinema, atravessados por uma atenção às possibilidades de relação entre cuidado e criação, com as imagens e com o mundo. O cinema de grupo é, antes de tudo, um modo de estar juntos e de agir com as imagens e sons que se põem em circulação num processo coletivo de criação – como isso pode acontecer no atual modo remoto, eis o problema que colocamos.
Convidamos a todas e todos a participar de um encontro do grupo e a compartilhar dessa experiência. E assim como fazemos sempre, propomos um dispositivo – uma maneira de já estarmos juntos, de algum modo, antes mesmo de nos encontrarmos. É dessas imagens e sons provocados pelo dispositivo que se faz os nossos encontros e o próprio grupo.
Realizar um vídeo mobilizados pela ideia de “desvio”. O filme precisa ter:
Um único plano de até um minuto de duração.
Tela na horizontal.
Sem mostrar o rosto.
Sem usar a palavra.
Enviar para kumã.uff@gmail.com até quinta ao meio-dia.
 
21/08 – SEXTA-FEIRA – 16 HORAS

Mulheres no Cinema no Peru

Debatedoras: Melina León (diretora, roteirista, montadora e produtora); Mónica Delgado (crítica de cinema e pesquisadora); Rosa María Oliart (sound designer e professora universitária) e Pauchi Sasaki (compositora de trilhas musicais e artista sonora).

Coordenação/mediação: Carla Rabelo (UNIPAMPA), Karla Holanda (UFF), Fernando Llanos (FASCS).

O cinema do Peru é pouco exibido e difundido no Brasil, mas sua cinematografia é vasta e vem crescendo exponencialmente na últimas décadas, reforçando os trabalhos de profissionais de longa data e também das novas gerações. As mulheres sempre estiveram presentes na história do audiovisual peruano desde o início do século XX, e têm colaborado com o setor em diversas frentes como crítica, direção, roteiro, som, música, montagem, direção de arte, produção, entre outras. Por isso, propomos uma conversa online com mulheres profissionais do cinema em áreas diversas que irão expor seus saberes-fazeres. Desse modo, apostamos na difusão dos trabalhos de mulheres que atuam no cinema e audiovisual, e também na ideia de repensar o campo sob óticas plural e decolonial, além de fomentarmos a criação de redes e espaços para debates sobre o cinema de/em países da região andina. A conversa com as profissionais do cinema peruano pretende recorrer suas histórias, seus processos criativos, recursos estilísticos e narrativos, aspectos históricos e socioculturais do Peru, contexto mercadológico e incentivos públicos, e principalmente as dificuldades das mulheres no fazer cinematográfico do país. O debate será conduzido na língua espanhola, mas também em portunhol e português, com tradução eventual caso haja necessidade.

SOCINE EM CASA – Programação da semana (18/08-21/08)

Category: Notícias
152 views